12/08/2005

Correio dos leitores

Caro Viseu Senhora da Beira!
Viseu e Cava de Viriato, 11 de Agosto de 2005
Agradeço a publicação desta minha missiva, porque chegou aqui ao meu poleiro um «zum-zum» sobre o acontecido na minha última visita ao Fontelo. O meu amigo, o Senhor Bispo- D. António Alves Martins, faleceu no Paço do Fontelo, pobre como bom franciscano, no dia 5 de Fevereiro de 1882. Foi uma figura algo polémica por ser directo e frontal. Rafael Bordalo Pinheiro, enorme artista e caricaturista de muito mérito, o criador do Zé Povinho – o tal do manguito, representou este meu grande amigo, no seu «Álbum das Glórias» publicação que continha as figuras mais importantes da vida política e social portuguesa dos finais do Sec. IXX, da seguinte forma: Desenhou e pintou uma figura austera, decidida, confiante, de ar desafiador que se apoiava, à esquerda, num varapau e com a seguinte legenda:«Moralidade e marmeleiro» - gravura nº 22 de Novembro de 1881. Como descrevi irritou-se muito. O caso não era para menos.... se a República entregou o Fontelo à Câmara, para ser Passeio Público, não foi certamente para o ver hoje desprezado, maltratado e sujo. Assim sendo e para os que eventualmente não tenham entendido a reacção de D. António e o seu desabafo e vou esclarecer: Os porcos e sujos são, evidentemente os utentes do Parque e da Mata que os não sabem respeitar e usam os espaços como lixeira e evacuam nos locais mais recatados. Os ignorantes e esbanjadores são menos e podem ser encontrados na Casa Municipal. E já agora confesso que evitei levar o Senhor D. António à antiga Capela da Mata, junto a Gumirães, e à zona das lajes e dos medronheiros, mais acima e perto do antigo canil, para que ele não visse o seguinte e triste panorama: A Capela abandonada e vandalizada há muitos anos, acabou por ruir. As paredes restantes foram «deligentemente» consolidadas e hoje servem de latrina. O pequeno lameiro junto às lajes dos medronheiros, com ervas altas e feno seco poderão ser um óptimo rastilho para um fogo florestal.Sempre amigo e presente, Sou de bronze mas, não sou burro!
VIRIATO

Viriato, é um prazer publicar os teus escritos! Manda sempre...

9 comentários:

Anónimo disse...

This is a great site. If you are interested in know about coin mint just following the link. Tons of coin mint info.

SERTÓRIO disse...

Caro Viseu Senhora da Beira !


Vou contar-lhe um segredo. Eu sou o ex-General romano Sertório, grande amigo do Viriato de quem fui o continuador, depois de desiludido com Roma.
Por esse motivo conheço bem esta linda cidade e já por várias vezes, a convite do Viriato – o Lusitano, vim visitar-vos.
A última vez foi em 1999 e no dia 19 de Setembro. Vou contar-lhe mais um segredo.... participei, sob disfarçe, na 19ª Meia Maratona de Viseu, organizada pelo Grupo Desportivo « Os Ribeirinhos »
Além de gostar muito de correr houve outro motivo que me levou a participar nesta competição.

Prestei , mais uma vez , homenagem ao herói Lusitano que com orgulho « Os Ribeirinhos » estampam nas suas camisolas.
Para quem não souber o estandarte do GDR tem as as cores do Município, vermelho e amarelo, e apresenta o meu amigo em posição de desafio às águias romanas - tal como está na sua estátua.
Não vou dizer em que lugar fiquei, pois isso iria conduzir, concerteza, à descoberta do meu pseudónimo. Garanto-vos que fiquei num lugar honroso para a minha idade e condição !

Ora acontece que tive conhecimento da visita que fizeram ao Fontelo o Viriato e D. António Alves Martins..
Lembrei-me que nesse ano a organização da Meia-Maratona de Viseu, me ofertou uma pequena publicação, que guardei com carinho, onde vinha inserido um texto intitulado :

« Viseu – Cidade », retirado « com a devida vénia do Jornal Voz das Beiras », sem a indicação do seu autor e que referia o seguinte relativamente ao Fontelo.

« ....... O do Fontelo foi votado ao ostracismo. Tem dois únicos atractivos : a sombra da mata, no Verão e a bela plumagem dos pavões.
Não terão ainda os jovens arquitectos municipais pensado naquele espaço ? Será necessário um concursos de ideias ? ».

E por hoje é tudo, como continuador do Viriato.....

Grato pela boa atenção.


SERTÓRIO

AJ disse...

Confirmo tudo. Passei por lá e vi com os meus olhos !
A velha Capela desabou e serve de retrete, mais a cima pude confirmar alguns trabalhos de limpeza essencialmente das heras.
Também iniciaram o corte das ervas altas e secas, mas...os jovens precisam de ser orientados.

Juntar ramos secos e ervas em montes e não os retirar, de imediato, da mata é ainda mais perigoso do que nada fazer !

Sra. Incrível disse...

Também já lá estive sobrevoei
o Fontelo e não gostei.
- Que lixeira!

VIRIATO PARTE 1 disse...

Viseu e Cava de Viriato, 15 de Agosto de 2005

Caro Viseu Senhora da Beira:

Ontém fui despertado pelo estrondo dos bombos dos Zés Pereira de Quintela de Orgens e vi que as luzes da Feira de São Mateus estavam acesas. Decidi ir ver as novidades. Desci do meu poleiro e como continuo às escuras...ninguém deu pela minha falta. Fui mudar de roupa, calcei umas sapatilhas confortavéis e fui ver a nova feira.
Na porta que ostenta o meu nome reparei que a decoração segue o muro e não está centrada com a entrada ou com a Avenida. da Bélgica. Finalmente percebi a razão de ser do muro e da pala...
A decoração é graciosa e apresenta vários arcos curvos, com 5 estrelas muito azuis e de tamanhos variados. É encimada por uma representação de um sistema solar, com o astro central em 3D. Agradou-me bastante.
Vi depois uma rua central, parte da ex-Av. Emídio Navarro, a que irá ser reposta quando a Feira acabar, devido às inúmeras reclamações e protestos dos mercadores e moradores. A iluminação pareceu-me pouco conseguida, é pobre e muito espaçada.
Deitei os olhos às novas barracas, pequenas e com telas de correr em material plastificado que me pareceram muito fragéis e muito pouco seguras. Logo de seguida tive a confirmação, um comerciante tenciona lá deixar, durante a noite, o seu cão para ficar de guarda à barraca.
Outra novidade é que este ano as barracas estão identificadas com o nome do comerciante ou expositor.
Reparei que o palco está de costas para a Rua da Ponte de Pau, ainda bem... vou poder regalar-me, de novo, com o Tony Carreira, já no dia 20 !
Até 25 de Setembro vou ver e ouvir outros artistas, na maioria da chamada música “Pimba”! Aqui não houve novidade!
Ao passar junto palco vi um grupo que avançava na minha direcção, em passo estugado, fiquei assustado e afastei-me um pouco para não correr o risco de ser reconhecido. Reparei então que traziam fatos escuros e eram comandados pelo Senhor Dr. Ruas que acompanhava um ilustre ministro, o Senhor Ministro do Ambiente e de outras coisas, Prof. Dr. Francisco Carlos da Graça Nunes Correia e era acolitado pelo Senhor Jorge e Carvalho, da Expovis e por diversos senhores vereadores da Casa Minicipal e distintas autoridades civis e militares.... os habituais.
Dirigiam-se para às barracas das farturas e certamente foram refrescar-se e provar produtos de Viseu como:
Farturas à moda de Lisboa, churros recheados e os deliciosos capuccinos ou cinbalinos! Boa !
No palco actuavam as “Cabacinhas de São Tiago”, com muito alegria e com uma tocata com instrumentos bem típicos - os acordeons !
Terminadas estas danças tive que me resguardar rapidamente, pois o “Trem Eléctrico”, da 67ª Volta a Portugal em bicicleta, fazia um barulho esnsurdecedor, mesmo para ouvidos de bronze. Lá no alto ainda vi, balançando-se , duas jovens loiras, demasiado magrase pálidas para o meu gosto...
Novidade é a instalação, o jogo de luz e formas, instalado à esquerda do palco. São vários tramos de arcos cruzados, de cor azul, o mesmo azul das estrelas da entrada. Também gostei.
As ruas são este ano espaçosas, mas com pouca luz. A nossa velha feira valia muito e era apreciada pela variedade e beleza da iluminação, que mudava de arruamento para arruamento. Agora toda essa beleza se foi e no seu lugar ficaram aqueles feios e cinzentos tubos em metal com 2 pequenas lâmpas em cima.
Na nova zona dos restaurante e das tradicionais enguias, felizmente já não vemos as barracas de anos anteriores. A Feira parecia um bairro de lata em que faltavam condições de higiene e segurança.
Saí pela Porta de São Mateus para apreciar a entrada e fiquei siderado, então não é que colocaram sobre a entrada um “buraco negro”... felizmente não me aproximei demasiado.
Apercebi-me que o povo vinha apressado, com fome de Feira e entrava logo na primeira porta disponível, que no ano passado era apenas porta de serviço e ignorava a Porta de São Mateus.

Existe agora uma nova via que atravessa longitudinalviriato 2 parte disse...

Existe agora uma nova via que atravessa longitudinalmente toda a feira, desde São: Mateus, passando pelo Pavilhão Multiusos e terminando na Porta do Sol Posto. Este arruamento pareceu-me igualmente com iluminação muito sóbria e repetindo, com pequena variação o tema da outra rua.
No pavilhão, onde o calor continua insuportável, montaram de novo “stands” nos corredores, diminuindo a segurança em caso de emergência.
No terreiro em frente ficam as diversões para miúdos e graúdos. Vi muita variedade e sobretudo espaço para passear e deslocar-se de modo seguro, o que não aconteceu no ano passado, em que tudo estava ao monte e motivou enorme críticas.
De costas para o Pavia e para o Forum ficaram as barracas das loiças onde vi velhos conhecidos, do tempo em que eu ficava, iluminado e dentro da Feira e os “cacos” eram vendidos aos meus pés.
Outra novidade são os pequenos veículos eléctricos, para deslocações de deficientes, de técnicos ou socorro no recinto. Vi funcionar o sistema ! Um electricista montado num carrinho buzinava furiosamente e procurava romper pela multidão que se movimentava em sentido inverso. Os vistantes olhavam incrédulos e pareciam perguntar: Para onde vai este doido ?
Na Porta do Sol Poente , mais parece que o Sol está a nascer e o aspecto da entrada é muito mau. Dá ideia tratar-se da entrada para um curro ! Desculpem mas sempre fui frontal !
Voltando para o meu poleiro e caminhando para a antiga Central Eléctrica, vi que o edifício, Museu da EDP, está encerrado, tem aspecto desleixado e os seus pátios e jardins estão sujos e maltratados.
Continuando o meu caminho entrei noutro mundo.... pareceu-me entrar nun acampamento de bárbaros, como diziam os romanos. Decoração quase inexistente, pouca luz, barracas degradadas, toldos velhos, piso irregular. Vi uma feira lastimável, foi então que percebi a razão da nova entrada, aquela que o povo apressado usa ! Mas que contraste, afinal a feira velha continua ...apesar dos ares de modernidade.
Não vi a tradicional Feira do Artesanato, nem qualquer instalação sanitária. Como nos WC do Multiusos havia fila, em especial nos das senhoras, voltei para junto dos meus amigos e fui mijar atrás do cedro.


Sou de bronze mas, não sou burro !

Viriato

P.S.
Senhor Dr. Américo Nunes, meu caro vizinho:

Por favor mande varrer e limpar e retirar o lixo que se acumula na minha Cava. De modo especial atrás do monumento e junto ao miradouro da Rua do Picadeiro. Até fico corado de vergonha com os comentários dos visitantes.
Os meus amigos agradecem a lavagem dos pés e mais agradecidos ficariam se mandasse regular os aspersores para se refrescarem um pouco mais !

Anónimo disse...

Caro amigo:
Peço o favor de divulgar a m/ última carta no Viseu Senhora da Beira, com foto p.f.
Terá mais visibilidade, só não o fiz por impossibilidade técnica.
Já agora aproveito para dar uma notícia desagradável:
Então não é que recebi há pouco uma mensagem,via SMS, do São Mateus. Esse mesmo o patrono da Feira, o que saiu das mãos do Prof. e Mestre Armindo Ribeiro (de Viseu) e que está à entrada da Feira, nas traseiras da Igreja de São José.
Enquanto eu "dormia" e antes de ser acordado, com estrondo, pelos bombos de Quintela. Foram os senhores políticos inaugurar a Feira de São Mateus, junto à minha porta.
Já respondi, ao Santo Evangelista, garantindo que nada tive a ver com o assunto e manifestando o meu desgosto por tal acto de falta de respeito !


VIRIATO

VIRIATO disse...

Viseu e Cava de Viriato, 20 Agosto de 2005

Meus amigos continuo muito triste. Desta vez não fui ao Fontelo mas...

Passou por aqui um corvo, vindo da nossa Mata, e contou-me ao ouvido o seguinte :
Ao passar pela Porta dos Cavaleiros, Monumento Nacional, reparou que tinham aparado a sebe da Fonte de São Francisco !
Aquilo tem estado muito ao abandono. O problema foi que se esqueceram de retirar os restos dos cortes e da limpeza do jardim. Os desperdícios ficaram a desfeiar o local.
Só visto ... é pena não poder juntar fotografia.
A tanque continua porco e o jardim com sacos de plástico vários, nem o nicho do Santo escapa à desgraça.
Mais um triste exemplo de desprezo e descuido pelo património secular da nossa cidade.


Grato pela atenção,

Sou de bronze mas, não sou burro.

VIRIATO

Anónimo disse...

29 Agosto 2005

A foto anterior mostra o Viriato com a espada !

Sr. F.A. vá ao oftalmologista ou à feira de Penafiel...